HackTalks | Blog de Ideias e Conexões de Impacto | por HackTown
HackTalks 2020

Como manter viva a cultura de uma empresa durante o isolamento social?

Carlos Henrique Vilela
Carlos Henrique Vilela 2min de leitura

Para uma das agências de publicidade mais inovadoras do mundo a resposta foi simples: criar uma estação de rádio. Confira.


A AKQA conta hoje com um time global de mais de 2.200 pessoas em 29 escritórios ao redor do mundo. A agência de publicidade, considerada uma das mais inovadoras do mundo, tem na sua cultura e no senso de comunidade entre as pessoas do seu time o seu maior ativo. Quando a pandemia chegou e o isolamento social foi inevitável, a empresa se deparou com o maior desafio da sua história: como manter essa cultura viva com todo mundo trabalhando a partir de casa?

A resposta para este desafio, que é, certamente um dos principais da maioria das empresas ao redor do mundo no momento atual, veio de uma ideia simples de uma profissional do escritório de Melbourne, na Austrália: uma estação de rádio online. A iniciativa, que rapidamente  recebeu apoio de todas as unidades e virou o principal trunfo na agência diante deste desafio, e já conta hoje com uma média de 500 ouvintes por dia. E o número não pára de crescer. 

“A Work From Home FM (WFH-FM) abriu um leque enorme de possibilidades de se comunicar e ouvir os colegas de empresa e, assim, manter todo mundo no mesmo clima, na mesma frequência”, conta a idealizadora Jessica Day. Ao lado do diretor de criação Adam Grant, Day lidera o projeto, mas este papel é apenas o de facilitar a participação dos interessados e manter a rádio no ar. No mais, a programação é feita de forma colaborativa, e qualquer um pode se envolver com a rádio. Além disso, o fato da rádio ser aberta a todo mundo, seja da agência ou não, tem ajudado a envolver também clientes e fornecedores, além de permitir que o público geral conheça mais dessa cultura que a torna a AKQA tão inovadora.

A programação conta com música, bate papos entre colegas de vários lugares do mundo, entrevistas – tudo tocado por pessoas que, por curtirem fazer isso, quiseram se envolver diretamente. Segundo Grant, a abordagem colaborativa resultou em um mix de conteúdo bem amplo e variado, que reflete a diversidade de interesses dos talentos da empresa, o que ajuda em muito a recapturar a cultura da AKQA durante a pandemia.

Para outras empresas que se interessaram e querem lançar suas rádios corporativas, o conselho de Grant é, “pegue e faça”. E ele complementa: ”permita que a programação e o crescimento da audiência ocorram naturalmente, sem querer impor nada ao time, nem ser muito rígido na abordagem e na programação”.

Sobre a continuidade da rádio, Grant diz que o projeto certamente se manterá vivo após a pandemia. “Mesmo estando em um lugar físico, a rádio está nos ajudando a conhecermos melhor uns aos outros, construindo um senso de comunidade e propósito ainda maior durante um período em que isso é mais do que necessário”.

Para conhecer a estação de rádio, é só acessar wfhfm.live

Carlos Henrique Vilela

Cofundador, Head de Curadoria do HackTown / Head de Marketing e Inovação na Leucotron / Head de conteúdo do HackTalks

Mais Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Orgulhosamente Desenvolvido por Trackdev