HackTalks | Blog de Ideias e Conexões de Impacto | por HackTown
HackTalks 2020

“Quando compramos um produto de origem agrícola, não pensamos sobre as baixas condições de vida nas comunidades produtoras”

Carlos Henrique Vilela
Carlos Henrique Vilela 5min de leitura

Entrevistamos David Behrends, fundador da Farmer Connect, empresa com o propósito de humanizar o consumo do café por meio da tecnologia. Vale a leitura.

Conte-nos um pouco sobre você e sua carreira.

Eu sou um norte americano que viveu na América do Sul por quatro anos e agora chama a Suíça de casa. Eu me considero um cidadão global e sou apaixonado por outras culturas (e comidas!). Sou um pai orgulhoso de uma linda menina de oito anos de idade e a minha esposa estudou em Foz do Iguaçu. Tenho dedicado os últimos vinte anos da minha vida a tentar ter um impacto positivo no mundo através do comércio de café. Isso me levou a passar muito tempo no Brasil, um país que eu realmente amo.

Você acaba de lançar um aplicativo chamado Thank My Farmer. Como surgiu a ideia?

Sempre me surpreendi com a distribuição de valor na cadeia do café. Hoje, toda a produção global de café verde representa em torno de 20 bilhões de dólares, enquanto consumidores pagam um total de até 200 bilhões de dólares pelo produto final. No entanto, é a industria de 20 bilhões de dólares (fazendeiros, processadores, exportadores e importadores) que geralmente tem que lidar com os problemas complexos relacionados a sustentabilidade. Isso é verdade para maior parte dos produtos agrícolas.

Eu estava em uma conferência um dia quando um famoso economista disse para sua platéia: “Vou à mesma cafeteria todos os dias e pago $1.95 dólares por uma xícara de café sabendo que apenas 5 centavos chegam até o fazendeiro. No entanto, eu alegremente pagaria $2 dólares pela mesma xícara se eu tivesse um modo garantido de saber que esses 5 centavos a mais iriam chegar até o fazendeiro, dobrando a sua renda”. Foi aí que eu tive um momento eureka, quando entendi que consumidores estariam dispostos a pagar uma pequena fração a mais pela sua xícara de café se eles:

  1. Tivessem uma conexão especial com o produto que eles consomem;
  2. Pudessem ver o impacto criado pelo valor adicional pago;
  3. Se sentissem bem consigo mesmos depois de ter pago esse valor adicional.

A intenção do aplicativo Thank My Farmer é a de “humanizar o consumo” para que as pessoas possam estar mais diretamente conectadas aos fazendeiros cultivando os produtos que eles amam. Nós acreditamos que isso torna o mundo “menor” e o transforma em um lugar mais significativo de se viver.

Como funciona o aplicativo? O que ele faz exatamente?

Na verdade, o Thank My Farmer é só um dos extremos de todo o ecossistema da cadeia produtiva e funciona em conjunto com os nossos outros dois produtos: Farmer ID e Farmer Connect Platform.

O principal objetivo do Thank My Farmer é prover transparência e rastreabilidade aos consumidores sobre os produtos agrícolas que estão sendo consumidos, mas vai além: com a integração de toda a cadeia, chegando até o produtor, é possível que o consumidor final contribua diretamente com suas comunidades via projetos de sustentabilidade.

Essa conexão somente é possível com a integração do Thank My Farmer com os demais produtos: Farmer ID focando em digitalizar os produtores e Farmer Connect Platform trabalhando com todas as entidades envolvidas no supply chain.

Conte-nos um pouco mais sobre os impactos do aplicativo aos produtores ao redor do mundo e ao consumidor final.

Aos produtores, o impacto maior se dá devido à visibilidade proporcionada pela digitalização da cadeia produtiva. Esse elo na cadeia, embora primordial, muitas vezes acaba por ser esquecido durante o processo produtivo, uma vez que falta a conexão direta entre o consumidor final e os produtores. Na maior parte das vezes, produtores não tem conhecimento sobre o produto final ao qual contribuíram com matéria prima. Ao refazer esse elo, o Thank My Farmer ainda beneficia as comunidades diretamente com o suporte dos consumidores através de projetos de sustentabilidade nas regiões produtoras, cooperando com parceiros locais.

Aos consumidores, o maior benefício é o de “abrir as cortinas” e compartilhar informações sobre os produtos e sua jornada. Essa busca por transparência vem se tornando uma forte tendência de mercado. Ao mesmo tempo, como dito, consumidores podem contribuir para os projetos de sustentabilidade com os quais mais se identificam.

Sua empresa, Farmer Connect, tem o propósito declarado de “humanizar o consumo por meio da tecnologia”. O que isso significa exatamente?

Sabemos que o consumo ainda é muito impessoal. Quando compramos um produto de origem agrícola no supermercado, não necessariamente pensamos sobre as baixas condições de vida nas comunidades produtoras. Mas essa é muitas vezes a realidade da situação. Através da tecnologia estamos criando um ambiente seguro e confiável onde consumidores podem efetivamente apoiar essas comunidades e acompanhar o progresso proporcionado por esse apoio direto.

Desta forma, tudo que fazemos está alinhado com nosso propósito como empresa. Todos os nossos produtos, seja o Thank My Farmer, Farmer ID ou Farmer Connect Platform visam conectar e humanizar o consumo, cada um focando em uma parte da cadeia produtiva.

Qual é o papel do blockchain em tudo isso? Na prática, como o blockchain ajuda a cumprir este propósito?

O Blockchain garante uma troca segura de informações entre as diferentes entidades da cadeia, o que é fundamental para que empresas se sintam confiantes em compartilhar dados de seus produtos e processos. Não fosse por esse ambiente estaríamos trabalhando com dados centralizados e com pouca interação entre as partes, o que abriria margem para manipulação da informação.

Pra finalizar, quais são os planos para o futuro? O que vem pela frente?

Temos planos ambiciosos de nos tornarmos o padrão de qualidade no que se refere a proporcionar visibilidade na cadeia produtiva. Nossa ideia é trabalharmos juntos com parceiros e outras empresas que já contribuem para um consumo mais sustentável para que possamos alcançar cada vez mais produtos e setores em diversos países. Por fim, queremos ter um impacto positivo nas comunidades produtoras, que mesmo sendo um dos elos mais importantes, ainda são o elo mais frágil da cadeia.

Carlos Henrique Vilela

Cofundador, Head de Curadoria do HackTown / Head de Marketing e Inovação na Leucotron / Head de conteúdo do HackTalks

Mais Posts

2 Comentarios

  1. Celso Vieira Vieira

    26 de agosto de 2020 at 13:29

    Muito bom

    Responder
  2. LEANDRO Messias Da Silva

    26 de agosto de 2020 at 18:20

    Muito bom

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Orgulhosamente Desenvolvido por Trackdev